Arquivos Mensais: Fevereiro 2017

O comboio de Auschwitz

No livro Railways: Their Rise, Progress and Construcion, o engenheiro Robert Ritchie arriscou uma profecia: «Os caminhos de ferro iluminarão os preconceitos e contribuirão para que os membros da grande família humana se conheçam melhor; tenderão assim a promover a … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Da inevitabilidade da morte

«La Jetée» (Chris Marker, 1962), objecto bizarro e confortavelmente instalado entre a fotografia, o cinema e a literatura, fala-nos do passado, essa carga que nos estrutura e condena, que se pode até confundir com o futuro, mas que, quando corrompe … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

O espelho embaciado do passado

No conto Tlon, Uqbar, Orbis Tertius, Jorge Luis Borges, por interposta personagem, diz que «os espelhos e a cópula são abomináveis, pois multiplicam o número de homens». A fotografia, espelho com memória – ou «o espelho embaciado do passado», como … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

A excelência perdida

George Steiner comprimiu os quatro anos do curso de geral de Yale em apenas um (proeza que só é exequível quando uma mente brilhante encontra um sistema de ensino civilizado). Nesse período, estudou física, química, matemática, poética, epistemologia, filosofia e … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Vós que entrais, deixai toda a esperança

Zeus ordenou. E os deuses fizeram-na e chamaram-lhe Pandora, a que tudo dá. Prendada, e dotada de natureza ardilosa, curiosidade e uma função, foi levada à Terra, por Hermes, e oferecida a Epitemeu. O titã, indiferente aos avisos do irmão, Prometeu, e ignorante do olímpico castigo que se aproximava, aceitou-a e tomou-a como sua mulher. Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário