Arquivos Mensais: Fevereiro 2013

Sul

El contacto, un hombre joven, apresurado y de pocas palabras, con quien se reunió en la cafetería Nebraska de la Gran Vía, no planteaba más que dos opciones: Galicia o el sur de España. Cara o cruz, lo tomas o … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Berlim e a Doença Europeia

A principal doença da Europa está sintetizada nas Niederkirchenerstrasse e Zimmerstrasse (contíguas). Há o Topographie des Terrors, um museu ao ar livre à espera de casa que evoca a Gestapo e as SS. O ambiente é fúnebre, e o “circo“ … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Nada – Entre o Vazio e a Esperança

Balcãs: um nome que guarda uma narrativa maior do que o simples conceito geográfico que aparenta ser. Hoje, evoca a guerra, mas os Balcãs foram, durante o século passado, um alimento quase inesgotável para o imaginário ocidental. Nos anos 1900’s … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Memória Externa

As fotografias e as notas são roteiros do passado que ajudam a encontrar um refúgio quando nos perdemos no vasto mar cognitivo. Mas para isso é preciso voltar a elas, às fotos e às notas, com regularidade, vasculhar arquivos, revirar … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Madrid, 1 de Fevereiro de 2013

A manhã corre lentamente pela rua León. Estou sentado na mesa junto ao escaparate da Casa González, que agora me serve de montra para a doce vida do Bairro das Letras. Peço uma torrada de azeite e tomate, um sumo … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

O Bartleby da Geração de 27

Pepín Bello (1904-2008) nasceu José Bello Lasierra, em Huesca. Publicou pouco, mas teve um papel relevante no movimento surrealista espanhol e na lendária Residência de Estudantes de Madrid. Colaborou com Dali e Buñuel no guião do filme Un Chien Andalou. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

A Música

O homem leva a música em si mesmo, disse Goethe. E Kandinsky acrescenta: o som musical tem acesso directo à alma, imediatamente encontra nela uma ressonância. Porque o homem leva a música em si mesmo.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário